Copa com 48 seleções: Fifa define distribuição de vagas por continente.

Taca

A Copa do Mundo vai passar a ter 48 seleções a partir de 2026. Desde que a Fifa definiu que assim seria, houve lobby de todas as confederações continentais, de olho no aumento do número de vagas. Nesta quinta-feira (30/3), a entidade encerrou a discussão. A distribuição foi aprovada em reunião do Conselho da Fifa – que tem o atual presidente da Fifa, Gianni Infantino, e os presidentes das seis confederações continentais.

A distribuição de vagas fica assim (tomando em comparação com a Copa de 2014, no Brasil)

Europa: 16 vagas diretas (até 2014, eram 13)

África: 9 vagas diretas (até 2014, eram 5)

Ásia: 8 vagas diretas (até 2014, eram 4 mais uma na repescagem)

América do Sul: 6 vagas diretas (até 2014, eram 4 mais uma na repescagem)

Concacaf (América do Norte, Central e Caribe): 6 vagas diretas (até 2014, eram 3 mais uma na repescagem)

Oceania: 1 vaga direta (até 2014, era uma vaga na repescagem)

A conta fecha em 46 vagas. Restam duas. Agora vêm as novidades.

-> O país-sede ganha vaga direta, como sempre foi (menos em 1934). Mas o continente a que esse país pertence fica sem uma vaga – ou mais de uma, em caso de uma candidatura conjunta, como a de Japão e Coreia do Sul em 2002. Continua 46 vagas.

-> Para dar chances a mais confederações, a Fia criou uma repescagem intercontinental, com seis equipes, valendo duas vagas O que fecha em 48 classificados. Essa repescagem terá uma seleção da África, uma da Ásia, uma da América do Sul, uma da Concacaf, uma da Oceania e uma da confederação do país-sede. Dentre essas seis, as duas melhores no ranking da Fia serão cabeças-de-chave. As outras quatro fazem dois duelos em mata-mata. Quem vencer enfrenta os cabeças-de-chave.

Para que isso se consolide, só falta a ratificação, que deve sair em uma reunião do Conselho da Fifa em 9 de maio deste ano, no Bahrein.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *