Perdas que a Copa do Mundo sofreu em 2015

O ano de 2015 passou e houve muitas perdas. Perdas, no caso, não no sentido dos 7 a  1, mas no sentido de pessoas que o mundo do futebol perdeu. Alguns casos foram dolorosos, como o uruguaio Ghiggia, o protagonista do Maracanazo, e o volante brasileiro Zito.

11/1 – Jeno Buzánszky (n. 1925), último remanescente da seleção da Hungria de 1954. Era defensor (5 jogos)

2/2 – Karl-Erik Palmer (n. 1929), atacante da Suécia na Copa de 1950. Fez cinco jogos e três gols. Sofreu um pênalti na partida contra o Brasil (no  tempo em que o Brasil fazia 7 a 1, e não levava)

3/2 – Frank Borghi (n.1925), goleiro dos Estados Unidos na Copa de 1950 (3 jogos). Foi interpretado pelo ator Gerard Butler (de 300) no filme Duelo de Campeões.

5/2 – Henri Coppens (n. 1930), centroavante da Bélgica na Copa de 1954 (2 jogos e 1 gol, contra a Inglaterra)

19/2 – Ivan Davidov (n. 1943), lateral-esquerdo da Bulgária nas Copas de 1966 (fez 1 jogo, contra a Hungria, e marcou 1 gol contra) e 1970 (1 jogo)

1 /3 – Dave Mackay (n. 1934), meio-campista da Escócia em 1958 (1 jogo)

21/4 – John Moshoeu (n. 1965), meia da África do Sul em 1998 (3 jogos)

8/5 – Ilunga Mwepu (n. 1949), lateral-direito da seleção do Zaire (atual Rep. Dem Congo) em 1974. Protagonizou um lance bizarro contra o Brasil. Em uma cobrança de falta para os brasileiros no 1º tempo, ele saiu correndo da barreira e deu um bico na bola antes de Rivellino fazer a cobrança

4/6 – Bengt Berndtsson (n. 1933), ponta-direita da Suécia. Era um dos mais novos jogadores em 1950 – tinha 17 anos e seis meses. Jogou apenas uma partida, em 1958

14/6 – Zito (n. 1932), volante brasileiro nas Copas de 1958 (4 jogos), 1962 (6 jogos) e 1966 (não jogou). Fez o segundo gol do Brasil na final de 1962, contta a Tchecoslováquia

20/6 – Angelo Niculescu (n. 1921). Treinador da  Romênia na Copa de 1970

29/6 – Josef Masopust (n. 1931), considerado o maior jogador tcheco de todos os tempos. Atuou nos Mundiais de 1958 (4 jogos) e na campanha do vice-campeonato de 1962 (6 jogos e 1 gol, marcado na final contra o Brasil)

16/7 – Alcides Ghiggia (n. 1926). Atacante do Uruguai na Copa de 1950. Personagem máximo do Maracanazo. Fez um gol em cada um dos quatro jogos que disputou – incluindo o gol da vitória uruguaia por 2 a 1 na decisão contra o Brasil

19/7 – Rodrigues Neto (n. 1949). Lateral-esquerdo do Brasil na Copa de 1978 (4 jogos)

28/8 – Ignacio Zoco (n. 1939). Zagueiro da Espanha na Copa de 1966 (3 jogos)

7 /9 – Dominique Dropsy (n. 1951), goleiro da França na Copa de 1978 (1 jogo, 1 gol sofrido). Foi o goleiro da equipe na partida em que a França atuou com uma camisa listrada em verde e branco

28/9 – Nicolás Fuentes (n. 1941), lateral-esquerdo do Peru na Copas 1970 (4 jogos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display