Holanda 0 x 0 Costa Rica. Uma troca inusitada

O herói da classificação holandesa para a semifinal da copa do Mundo de 2014, no Brasil, entrou na partida no 15º minuto do segundo tempo da prorrogação. Trata-se do goleiro Tim Krul. Ao ver que o jogo contra a Costa Rica iria ser decidido nos pênaltis, o técnico holandês Louis van Gaal trocou o goleiro. Saiu Cillessen, titular durante toda a Copa do Mundo, entrou Krul. Nunca uma troca desse gênero ocorrera em Copas do Mundo. Ao menos Van Gaal parecia saber o que estava fazendo, já que o goleiro reserva aparou duas cobranças dos costarriquenhos.

Krul foi apenas a última das mudanças de Van Gaal para essa partida. De cara, ele alterou o esquema tático. O 5-3-2 das quatro partidas anteriores se transformou num 3-4-3, em que o atacante Kuyt atuava como ala pela direita, o lateral Blind fazia as vezes de ala pela esquerda e os atacantes Robben e Van Persie ganhavam a companhia de Depay.

A Costa Rica, no mesmo 5-4-1 dos outros jogos, preocupou-se apenas em se segurar na defesa. Por segurar-se na defesa, leia-se contar com (mais) uma boa atuação do goleiro Navas. Aos 21 minutos, ele fez boa defesa em chute de Van Persie e depois segurou o rebote, arrematado por Sneijder. Ainda fez defesas difíceis em chute de Depay, aos 28 minutos, em cobrança de falta de Sneijder, aos 37, e ainda fez uma saída providencial aos pés de Van Persie, aos 41.

Na etapa final, numa das raras investidas, a Costa Rica reclamou de pênalti de Martins Indi em Campbell. A Holanda só deu trabalho de novo nos 15 minutos finais. Aos 36, Sneijder cobrou uma falta e acertou a trave. No minuto seguinte, Van Persie driblou um adversário na área e chutou forte, para mais uma grande defesa de Navas. Aos 43, Van Persie perdeu gol feito, ao furar a bola cruzada. Nos acréscimos, Van Persie finalizou e Tejeda salvou em cima da linha. A bola ainda bateu no travessão antes de voltar para o meio da área.

Viria a prorrogação. No tempo extra, nada mudou. Navas fez mais uma boa defesa (em cabeçada de Vlaar), a Costa Rica reclamou de mais um pênalti (Vlaar em Ureña) e levou mais uma bola na trave, de Robben. No minuto final, Van Gaal fez a decantada troca dos goleiros. E Krul, nas cobranças de pênaltis, não só acertou os cantos em todas as cobranças, mas também defendeu os chutes de Bryan Ruiz e Ureña – Borges, Gonzalez e Bolaños converteram. Do outro lado, Navas fez o que pôde, mas não conseguiu deter as cobranças dos cascudos Van Persie, Robben, Sniejder e Kuyt. A Holanda estava na semifinal.

 

Holanda 0 (4) x 0 (3) Costa Rica
Holanda (3-4-3)
1.Cillessen 6
><23.Krul, 15-2 prorr. 7
3.De Vrij 7
2.Vlaar 7
4.Martins Indi 6
><19.Huntelaar, int prorr. 6
15.Kuyt 6
20.Wijnaldum 6
10.Sneijder 7
5.Blind 6,5
11.Robben 7,5
9.Van Persie 5,5
21.Depay 6
><17.Lens, 31-2 5,5
Costa Rica (5-4-1)
1.Navas 7,5
16.Gamboa 6,5
><8.Myrie, 34-2 6
2.Acosta 6,5
3.Gonzalez 7
4.Umaña 6
15.Díaz 6
5.Borges 6
17.Tejeda 6
><22.Cubero, 7-1 prorr. 5,5
10.Ruiz 5
7.Bolaños 6
9.Campbell 5,5
><21.Ureña, 21-2 5,5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display