Argentina 1 x 0 Suiça. Hoje é dia Di Maria

Cento e dezessete minutos sem gol. Parecia que a Suíça conseguiria travar a decantada linha de frente da Argentina e levar a disputa das oitavas-de-final, nesta terça-feira (1/7), para os pênaltis. Mas os argentinos tinham Messi. E nem era o dia dele. Era dia Di Maria. Ele recebeu um passe de Messi e colocou a bola no canto direito do goleiro Benaglio. Argentina, classificada, 1. Suíça, eliminada, zero.

Nem sequer foi o capítulo final de uma classificação dramática no estádio Itaquerão, em São Paulo. Nos descontos da prorrogação, o meia Dzemali teve uma chance de ouro para empatar. Após cruzamento de Shaqiri, ele cabeceou na trave direita. A bola voltou, tocou em seu joelho e foi para fora, diante de um goleiro batido. Pouco antes, o goleiro suíço estava na área da Argentina para tentar ajudar no ataque – e quase conseguiu uma estilosa bicicleta.

Até o jogo chegar a esse ponto, argentinos e suíços fizeram uma partida previsível. Os portenhos, armados no 4-4-2, tomavam a iniciativa e esbarravam na bem montada defesa suíça – o time se defendia num 4-5-1 e atacava num 4-2-3-1. No primeiro tempo, os argentinos não conseguiram furar o bloqueio. E os suíços tiveram as duas melhores chances da primeira etapa. Aos 25 minutos, Shaqiri driblou Garay e cruzou rasteiro. Xhaka, livre, chutou e Romero salvou com o pé. Aos 38, Drmic foi lançado pela esquerda e ficou livre, cara a cara com o goleiro. Entre finalizar rasteiro, tentar o drible ou bater por cobertura, o suíço cravou a terceira opção esse deu mal: apenas recuou a bola para Romero, que havia ficado parado.

Na segunda etapa, a Suíça teve uma chance, em cobrança de falta de Shaqiri, e só. Depois, só deu Argentina. As inúmeras tentativas, contudo, pereciam nos cortes pelo alto executados pelo zagueiro Djourou, ou nos erros dos atacantes, ou nas defesas de Benaglio. Ele fez pelo menos três defesas difíceis na etapa final e mais algumas na prorrogação.

Até o minuto 117, ou o 12º minuto do segundo tempo da prorrogação. Os suíços já se preparavam para os pênaltis quando Palacio tomou a bola de Lichtsteiner no meio-de-campo e serviu Messi. Ele conduziu a bola pelo meio e, quando a marcação o cercou, tocou para Di Maria chutar cruzado, à direita do goleiro. Era dia Di Maria. Era dia da Argentina se garantir nas quartas-de-final da Copa.

 

Argentina 1 x 0 Suíça
Argentina (4-4-2)
1.Romero 6,5
4.Zabaleta 6,5
17.Fernández 6
2.Garay 6
16.Rojo 7,5
><23.Basanta, int. prorr. s/n
14.Mascherano 6,5
5.Gago 6
><6.Biglia, int prorr. s/n
7.Di María 7,5
10.Messi 7
22.Lavezzi 5
><18.Palacio, 29-2 5,5
9.Higuaín 5
Suíça (4-2-3-1)
1.Benaglio 7
2.Lichtsteiner 5,5
22.Schär 6
20.Djourou 7
13.Rodriguez 7
8.Inler 6,5
11.Behrami 6
23.Shaqiri 6,5
10.Xhaka 5,5
><16.Gelson Fernandes, 21-2 5,5
18.Mehmedi 6
><15.Dzemaili, 8-2 prorr. s/n
19.Drmic 5
><9.Seferovic, 37-2 5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display