Luis Suárez admite mordida e pede desculpas. Mesmo assim, entrará no Kung Fu FC

Punido pela Fifa com nove jogos de suspensão, quatro meses sem frequentar ambientes de futebol e uma multa, o atacante uruguaio Luis Suarez admitiu nesta segunda-feira (30/6) que fez mesmo aquilo que gerou toda a punição: mordeu o zagueiro italiano Giorgio Chiellini.

Através de sua conta oficial no Twitter, o jogador diz que se arrepende da mordida que deu no adversário, na terça-feira (24/6), em Natal. E jurou que nunca mais vai morder alguém na carreira como jogador – seu passado registra uma ocorrência quando ele defendia o Ajax e outra, com mais repercussão, já nos tempos de Liverpool.

“Independentemente da polêmica e das declarações contraditórias que foram veiculadas nos últimos dias, tudo aconteceu sem a minha intenção de interferir no desempenho da minha seleção nacional. A verdade é que meu colega de profissão Chiellini sofreu um choque físico resultante da minha mordida após a colisão que sofremos”, afirmou o atacante, no Twitter. “Eu me arrependo profundamente. Peço perdão a Chiellini e à família do futebol. Eu me comprometo publicamente a nunca voltar a me envolver em um incidente como esse”.

O incidente aconteceu aos 33min21s do segundo tempo do jogo entre Itália e Uruguai. Suárez se enroscou com Chiellini dentro da área e o mordeu no ombro esquerdo. Pouco depois, os uruguaios marcaram o que seria o gol da vitória por 1 a 0.

Suárez não chegou a ser expulso, já que o árbitro não viu o lance e não deu bola quando Chiellini quase ficou pelado para mostrar as marcas da agressão. Mas o vídeo da jogada chegou ao Comitê Disciplinar da Fifa. Pressionada, a entidade aplicou uma punição considerada pesada demais por analistas e até mesmo por Chiellini, de acordo com o que o próprio zagueiro afirmou na sexta-feira (27/6). Na segunda-feira, ele declarou ter aceitado as desculpas. “Está tudo esquecido. Espero que a Fifa reduza a sua punição”, escreveu, no Twitter.

Com ou sem pedido de desculpas, Suárez já garantiu alguma coisa: vai entrar na seleção do Kung Fu FC do livro O Mundo das Copas. Substituirá Thierry Henry no ataque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display