Holanda 2 x 1 México. O roubo de Robben

O México estava perto da vaga às quartas-de-final da Copa do Mundo de 2014. Até os 40 minutos do segundo tempo, vencia a Holanda por 1 a 0, em Fortaleza, neste domingo (29/6). Mas o México mostrou o dom de sabotar as próprias pretensões. Em dois erros da defesa, permitiu que os holandeses virassem para 2 a 1 e, com isso, carimbassem a vaga. Claro, tudo poderia ser diferente, não fosse um roubo de Robben, o veloz ponta holandês.

“No primeiro tempo claro que foi pênalti, mas o segundo foi cavado. Não deveria ter feito isso e peço desculpas”, disse o atacante, ao fim da partida. O lance a que ele se refere é um em que ele tropeça propositalmente no pé aterrado do zagueiro Rafa Márquez, na área, perto da linha de fundo, aos 47 minutos no segundo tempo. O árbitro caiu na dele e marcou pênalti. Dois minutos de reclamações depois, Huntelaar converteu e decretou a vitória holandesa.

Em comum, os dois times apostavam em formações com três zagueiros. Os mexicanos, no 3-5-2. E os holandeses, num 5-3-2, com o atacante Kuyt de lateral-esquerdo. No primeiro tempo, uma baixa: o volante De Jong saiu machucado aos 9 minutos e deu lugar ao zagueiro Martins Indi, aquele mesmo que desmaiou na partida contra a Austrália. Com isso, Blind, lateral que atuava com zagueiro pela esquerda, acabou deslocado para a posição de volante.

Como o México apostava no avanço dos alas, começou melhor. Mesmo porque Layún invariavelmente passava pelo holandês Verhaegh. O time quase marcou aos 41, quando uma bola sobrou para Giovani dos Santos bater cruzado. O inseguro goleiro Cillessen salvou com o pé. No outro lado, aos 45 minutos o árbitro ignorou pênalti de Rafa Márquez em Robben – nesse mesmo lance, o zagueiro Moreno sofre uma fratura a teve que deixar o campo.

Na etapa final, o México abriu o placar logo a 3 minutos. Vlaar afastou uma bola pelo alto, na entrada da área, e ela sobrou para Giovani dos Santos, que dominou no peito e chutou forte, no canto esquerdo de Cillessen. Então os mexicanos cometeram o pecado de recuar cedo demais. Os alas se transformaram em laterais, o que deixou o time num 5-3-2 – e mais tarde num 5-4-1, com a troca do atacante Giovani dos Santos pelo meia Aquino. E isso chamou a Holanda para o ataque.

Na pressão, os holandeses foram criando chances consecutivamente – na melhor delas, aos 13 minutos, De Vrij finalizou e Ochoa, em cima da risca, defendeu com o rosto. E mudou para ficar mais ofensiva, ainda que a troca de Van Persie por Huntelaar desafiasse essa lógica. Robben começava a infernizar pelo lado direito do ataque e uma de suas jogadas parou no goleiro mexicano. Mas em seguida veio o empate. Aos 42 minutos, Robben cobrou escanteio, Huntelaar desviou pelo alto e a bola caiu com Sneijder, que chutou de primeira e acertou o canto direito de Ochoa – o goleiro estava com a visão encoberta no lance. E o onipresente Robben “roubou” o pênalti aos 47, que gerou o gol da vitória holandesa. Com isso, o México, pela sexta vez seguida, cai nas oitavas-de-final de uma Copa do Mundo.

 

Holanda 2 x 1 México
Holanda (5-3-2)
1.Cillessen 6,5
12.Verhaegh 5,5
><21.Depay, 11-2 6
3.De Vrij 6,5
2.Vlaar 6,5
5.Blind 6
15.Kuyt 6
6.De Jong s/n
20.Wijnaldum 6
><4.Martins Indi, 9-1 5,5
10.Sneijder 6,5
11.Robben 8
9.Van Persie 6
><19.Huntelaar, 31-2 7
México (3-5-2)
13.Ochoa 6,5
2.Rodríguez 6
4.Rafa Márquez 5,5
15.Moreno 6
><5.Reyes, int 6
22.Aguilar 6
6.Herrera 6,5
3.Salcido 6
18.Guardado 6
7.Layún 6
10.Giovani dos Santos 6,5
><20.Aquino, 16-2 5,5
19.Peralta 5,5
><14.Javier Hernández, 30-2 5,5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display