França 3 x 0 Honduras. Gol, gol e Goal Ref

Quem assumiria o protagonismo na seleção francesa com o corte do meia Franck Ribéry? Diante de Honduras, neste domingo (15/6), na estreia de ambos na Copa, a resposta atendia pelo nome de Benzema. O atacante do Real Madrid – cortado do último Mundial devido a um envolvimento com prostituição – fez dois gols na vitória de 3 a 0. Mas o gol mais mancante do jogo foi o que ele não fez.

Aos 3 minutos da etapa final, quando a França já vencia por 1 a 0, Benzema recebeu e bateu cruzado. A bola se chocou na trave, bateu no goleiro hondurenho Valladares e cruzou a linha de gol. Ou não? O goleiro a puxou em seguida. A dúvida se desfez quando o GoalRef, sistema usado pela Fifa para determinar se a bola entrou mesmo, teve que trabalhar pesado. Em seu lance mais polêmico até agora no Mundial de 2014, o sistema detectou que a bola havia, sim, ultrapassado totalmente a risca antes de Valladares pescá-la. Sob os olhos e os sons dos torcedores presentes ao estádio Beira-Rio, a imagem do GoalRef apareceu no telão e referendou o gol francês, o segundo naquela partida — curiosamente, Valladares teimava, ao fim do jogo, que a bola não tinha entrado.

Honduras 2014

Benzema perdeu a autoria do gol – a Fifa creditou a Valladares, contra. Mas o atacante francês já havia aberto o placar, no fim da primeira etapa. Honduras resistiu ao maior volume de jogo francês apenas até os 44 minutos. Wilson Palacios se chocou com Pogba na área e o árbitro, o brasileiro Sandro Meira Ricci, marcou pênalti e expulsou Palacios – que já tinha cartão amarelo. Na cobrança, Benzema abriu o marcador para os franceses. Até então, o goleiro Valladares havia feito uma boa defesa e duas bolas bateram no travessão.

Na etapa final, a França continuou seu massacre. Valladares defendeu outro chute de Benzema. Mas o atacante fez o terceiro gol aos 26 minutos, ao pegar a sobra de um escanteio e fuzilar.

O confronto teve uma marca negativa. Os jogadores se perfilaram para ouvir os hinos de ambos os países, mas não ouviram nada. O sistema de som não funcionou e os hinos não foram executados. Como ninguém ouvia nada, os jogadores saíram de sua formação e se cumprimentaram uns aos outros. O árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci teve de aguardar pelo horário correto para iniciar a partida, que já começou sem o protocolo oficial da Fifa.

 

França (4-3-3)
1.Lloris 6
2.Debuchy 6,5
4.Varane 6
5.Sakho 6
3.Evra 6
6.Cabaye 6,5
><12.Mavuba, 20-2º 5,5
14.Matuidi 6
19.Pogba 6
><18.Sissoko, 12-2º 5,5
8.Valbuena 6,5
><9.Giroud, 33-2º s/n
10.Benzema 8
11.Griezmann 6
Honduras (4-4-2)
18.Valladares 5,5
21.Beckeles 5,5
5.Bernárdez 5,5
><2.Chávez, int 5
3.Figueroa 5,5
7.Izaguirre 5,5
17.Najar 5
><20.Claros, 13-2º 5,5
19.Garrido 6
8.Palacios 4
15.Espinoza 5
13.Costly 5,5
11.Bengtson 5,5
><14.Boniek García, int. 5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display