A estreia do Brasil na Copa: 3 a 1 sobre a Croácia

Estreia é sempre um jogo nervoso. Coloque-se nessa equação um time jovem, com uma pressão sobrenatural de ganhar a Copa do Mundo em casa. Tem-se aí a estreia da seleção brasileira diante da Croácia –que estava desfalcada de uma de suas principais estrelas, o atacante Mandzukic, suspenso.

Nervosa, a seleção demorou para engrenar. Os croatas tiveram, no primeiro minuto, o primeiro chute a gol da Copa, com Kovacic. No 6º, a primeira chance de real perigo, numa cabeçada de Olic. No 11º, o primeiro gol da Copa – Olic avançou sem marcação pela esquerda e cruzou. Jelavic errou a finalização, mas Marcelo, na pequena área, desviou contra o próprio gol. Foi o primeiro gol contra da seleção brasileira em Mundiais.

Passado o susto, a seleção engrenou. Graças a uma mudança tática em relação a jogos anteriores. Oscar, normalmente o meia que centraliza o jogo, caiu pelo lado direito. Neymar, atacante que tende a jogar pelo lado esquerdo, ocupou o meio. E Hulk preencheu o lado esquerdo do ataque, prendendo os avanços do perigoso lateral Srna.

Depois de algumas tentativas fracassadas e de duas defesas do goleiro Pletikosa, Neymar empatou aos 29 minutos. A jogada começou com Oscar roubando a enésima bola no meio-campo. Neymar carregou-a e chutou de pé esquerdo, de fora da área. A bola tocou a trave esquerda antes de entrar. Até o fim, a seleção se manteve nessa postura. Oscar passou várias vezes a dribles pelo lateral Vrsaljko, que o marcava.

Na etapa final, os dois times criavam pouco, até que um lance polêmico mudou a maré da partida. Aos 24 minutos, Fred recebeu de Oscar e caiu na área em disputa com Lovren. O árbitro japonês marcou pênalti e ainda deu cartão amarelo ao croata. Dois minutos de reclamações depois, Neymar bateu o pênalti à direita do goleiro – que tocou na bola, mas não evitou o gol.

Com a vantagem de 2 a 1, o Brasil recuou e passou a apostar em contragolpes. A Croácia assustou aos 37 minutos. Após cruzamento da esquerda. Olic subiu com o goleiro Júlio César. Brozovic finalizou sem goleiro e David Luiz salvou. Foi quando o árbitro parou o jogo, apontando falta no goleiro – uma fração de segundo antes de Modric mandar para dentro.

O goleiro brasileiro ainda fez duas boas defesas – embora tenha espalmado uma das bolas de forma esquisita – antes de o Brasil fechar o placar, com um gol de Oscar, aos 46 minutos. Ramires roubou uma bola no meio-de-campo e Oscar, seu colega no Chelsea (ING), ficou com ela. Ele disparou em direção à área e, antes de chegar lá, chutou de bico. A bola entrou no cantinho direito do goleiro.

Ao fim do jogo, o técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari disse que o pênalti existiu. Nico Kovac, técnico da Croácia, afirmou não apenas que o pênalti foi inexistente, mas que também houve falta no lance do terceiro gol brasileiro. Chamou a arbitragem de “circo”. Revoltados com a derrota, os jogadores da Croácia quebraram o vestiário do Itaquerão.

 

Brasil 3 x 1 Croácia
Brasil (4-2-3-1)
12. Julio César 6
2.Daniel Alves 6
3. Thiago Silva 6,5
4. David Luiz 7
6.Marcelo 6
17.Luiz Gustavo 6,5
8.Paulinho 6
><18.Hernanes, 18-2 6
11.Oscar 8
10.Neymar 7,5
><16.Ramires, 43-2 6,5
7.Hulk 5,5
><20.Bernard, 23-2 6
9.Fred 5,5
Croácia 4-2-3-1
1.Pletikosa 6
11.Srna 6
5.Corluka 6
6.Lovren 5,5
2.Vrsaljko 5,5
7.Rakitic 6
10.Modric 7
4.Perisic 6,5
20.Kovacic 5,5
><14.Brozovic, 16-2 5,5
18.Olic 7
9.Jelavic 5,5
><16.Rebic, 33-2 5,5

Números do jogo

Brasil 12/jun Croácia
14 Finalizações totais 9
9 Finalizações certas 4
5 Faltas 21
7 Escanteios 3
1 Pênaltis 0
1 Impedimentos 0
2 Cartões amarelos 2
0 Cartões vermelhos 0
58 Posse de bola (%) 42
31 Tempo com a bola (min) 22

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display