Cristiano Ronaldo leva a melhor sobre Ibrahimovic no 1º duelo. E outro supercraque pode sobrar

Cristiano Ronaldo e Ibrahimovic. Quem vem para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, e quem vai ficar de fora? A dúvida monopolizou o confronto entre Portugal e Suécia, nesta sexta-feira (15), pela repescagem das Eliminatórias Europeias. Na prática, nenhum deles jogou bem no primeiro duelo, em Lisboa, mas Cristiano Ronaldo foi mais decisivo. Marcou o gol da vitória lusa por 1 a 0.

No primeiro tempo, embora Portugal tivesse 63% de posse de bola, a Suécia (armada num 4-4-2) esteve mais perigosa. Teve as melhores chances. Tudo mudou na etapa final. O técnico de Portugal fez seus atacantes do esquema 4-3-3 se portarem como atacantes. E o time cresceu. Demorou para fazer o gol, é verdade. Faltavam 8 minutos quando Cristiano Ronaldo marcou, de peixinho, num lance que estava mais para o lateral Olsson. Agora, os portugueses jogam por um empate ou até uma derrota, desde que por apenas um gol e que marquem ao menos uma vez.

A preocupação de qual dos dois supercraques vai ficar de fora da Copa foi tanta nesta sexta-feira que ninguém se ligou que um terceiro supercraque – Ribery, da França – também pode nem vir ao Brasil. A seleção francesa perdeu para a Ucrânia por 2 a 0, em Kiev, no primeiro confronto. Os ucranianos fizeram dois gols meio chorados – a finalização de Zozulia não chegou a entrar meio metro e o pênalti cobrado por Yarmolenko quase acabou defendido pelo goleiro Lloris. Num jogo nervoso, com uma expulsão de cada lado, Ribery se fixou no lado esquerdo do campo e dali praticamente não saiu. A Ucrânia ficou com boa vantagem e a França agora precisa vencer por três gols de saldo em casa.

Em Atenas, a Grécia também abriu boa vantagem, ao derrotar a Romênia por 3 a 1, gols de Mitroglou (2) e Salpingidis para os donos da casa e Stancu para os visitantes. Um placar até elástico demais para os gregos, que passaram boa parte das eliminatórias acumulando vitórias por apenas 1 a 0.  E que lhe permite até perder por um gol de diferença no reencontro das equipes em Bucareste.

Em Reykjavik, a Islândia desperdiçou o único trunfo que tinha diante da Croácia: o mando de campo. Debaixo do costumeiro frio, não passou de um empate sem gols. Para ir a uma Copa pela primeira vez, a equipe treinada pelo sueco Lars Lägerback precisa de uma vitória ou um empate com gols em Zagreb. Os croatas jogam por uma vitória simples, apostando no mando de campo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display