Dramalhão de novela mexicana na Concacaf

Acabou-se a sensação de que o México é o time mais forte da Concacaf (Américas do Norte, Central e Caribe). Na fase final das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, o país sofreu para se manter no páreo – e ainda não está garantido. Ironia das ironias, os mexicanos precisam agradecer exatamente ao seu grande nêmesis, os Estados Unidos. Um dramalhão típico de novela mexicana.

Quando a última rodada da fase final começou, nesta terça-feira (15/10), o México estava em quarto lugar no classificatório, com 11 pontos. Apenas os três primeiros garantem vaga direta – Estados Unidos e Costa Rica abocanharam, com antecedência, as duas primeiras vagas. Honduras, com 14, aparecia muito perto da terceira vaga: bastava empatar com a Jamaica (e o jogo terminou 2 a 2). O México, assim, já se conformava em disputar a repescagem continental, contra a Nova Zelândia. Para isso, era só empatar com a Costa Rica. Ou torcer para o Panamá (8 pontos) não vencer os Estados Unidos. Mas…

Em San José, na Costa Rica, o México perdeu por 2 a 1 para os costarriquenhos – gols de Bryan Ruiz e Álvaro Saborío, com Oribe Peralta descontando para os mexicanos . Assim, dependiam do resultado do jogo entre Panamá e Estados Unidos, na Cidade do Panamá. Quando o apito final soou em San José, o Panamá vencia os Estados Unidos por 2 a 1 – e o segundo gol panamenho havia saído aos 39 minutos do segundo tempo, com Tejada. Mas… os Estados Unidos empataram com Zusi aos 45 minutos. Três minutos depois, Johannsson anotou o terceiro gol dos ianques.

O México saiu do caixão e ganhou uma sobrevida. Para não ficar fora de uma Copa do Mundo pela primeira vez desde 1990, os astecas farão duas partidas contra a Nova Zelândia, em 15 e 19 de novembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display