Brasil teve gana contra Gana

O Brasil enfrentou — e venceu, por 1 a 0 — a seleção de Gana, nesta segunda-feira (5/9), no Craven Cottage, em Londres. O resultado tende a aliviar um pouco a pressão sobre o técnico Mano Menezes. O curioso é que, quando ele assumiu a seleção, havia um clamor para que a equipe se renovasse, e ele o fez. Depois de atender ao clamor popular e renovar a equipe, vieram alguns tropeços. E muita gente pedia sua cabeça. Parece que a convicção de muitos não resiste por muito tempo.

Assim como parecia que a convicção de Mano para renovação não fazia sentido quando se pensa que ele chamou Ronaldinho Gaúcho, 31 anos. Porém, ele assumiu em campo o status de ídolo e tentou chamar a responsabilidade. Não teve uma atuação sobrenatural, mas seu superior nível técnico em relação aos outros (Neymar inclusive) chamou atenção.

Gana pode não ter o glamour de Argentina ou Alemanha, mas não pode, em hipótese nenhuma, ser considerada uma baba. É a atual vice-campeã africana e foi muito bem na Copa do Mundo de 2010. Por sinal, sete titulares daquela equipe — Pantsil, Mensah, Vorsah, Inkoom, Muntari, Asamoah e Ayew — estavam no campo diante do Brasil.

O começo de jogo indicava complicações. Gana mostrou mais força física e levou mais perigo nos primeiros 10 minutos. Nesse meio-tempo, o Brasil perdeu o meia Paulo Henrique Ganso, machucado. Ele deu lugar a Elias. Coincidência ou não, o time se aprumou no meio-campo a partir daí. Gana só aparecia quando cometia faltas duras — até que o lateral Opare, depois de cometer a quinta infração violenta, foi expulso aos 33 minutos. Depois disso, a seleção brasileira tomou conta de vez do jogo. E Leandro Damião — que havia feito um gol de cobertura, mas impedido, aos 26 minutos — recebeu bom passe de Fernandinho e bateu cruzado, marcando o único gol do jogo.

O segundo gol não saiu, mas não foi por falta de esforço da seleção. O goleiro ganês, Kwarasey, colecionoui defesas. Aparou uma tentativa de Leandro Damião, três faltas bem cobradas por Ronaldinho e uma cabeçada fulminante de Alexandre Pato, após cruzamento genial de Ronaldinho. Assim, a vitória brasileira se resumiu a um magrinho 1 a 0. Triunfo de uma equipe que vai se renovando, mas que ainda conta com velhos conhecidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display