Estados Unidos 1 x 0 Argélia – Uma classificação nada inverossímil

Se fosse roteiro de filme, talvez acabsse reprovado pelos engravatados de Hollywood, que iriam considerar a história inverossímil. Mas a classificação dos Estados Unidos à segunda fase da Copa do Mundo de 2010 foi real, bem real. O time obteve a vaga graças a um gol de Donovan, aos 46 minutos do segundo tempo, que determinou a vitória de 1 a 0 sobre a Argélia, nesta quarta-feira (23/6). Até esse gol sair, o time ianque pedia a vaga para a Eslovênia, que enfrentava a Inglaterar no outro jogo do grupo.

Num grupo embolado, até a Argélia tinha chances de classificação, desde que batese os Estados Unidos e houvesse um vencedor na outra partida. Mas começou jogando no seu falso 4-5-1, com os meias Ziani e Matmour encostando no atacante solitário Djebbour. Djebbour até teve a chance de abrir o placar, ao acertar o travessão. Depois, reclamou (com certa razão) de pênalti num agarra-agarra na área adversária. Mas não passou disso.

Já os Estados Unidos, que atuavam no mesmo 44-2 das outras partidas (apenas com trocas de peças), dominaram boa parte do tempo. Dempsey chegou a marcar um gol, aos 35 minutos, mas o árbitro anulou — e, apesar de ter razão, ouviu muito palavrão em inglês. na etapa complementar, o mesmo Dempsey chutou na trave e depois mandou a sobra para fora. E o goleiro argelino Mbohli salvou outras duas chances claras.

Até o fim do tempo regulamentar, os Estados Unidos, apesar de toda a pressão, estavam com 3 pontos, por causa do empate sem gols, e perdiam a vaga para Eslovênia (4 pontos) e Inglaterra (5). A desculpa para a eliminação estava pronta: o gol mal anulado diante da Eslovênia — e o bem anulado sobre os argelinos também iria entrar na conta. Mas o gol de Donovan, aos 46 minutos, após rebote do goleiro, mandou os ianques para o primeiro lugar da chave, com cinco pontos e mais gols marcados que os ingleses.

Os africanos se despedem do Mundial sem ter marcado um gol sequer, mas, ao menos obtiveram um saldo de gols melhor que o da França — em cuja equipe a maioria dos jogadores da Argélia, franceses de nascimento, sequer teria chance de atuar.

EUA 1
Howard; Cherundolo, DeMeritt, Bornstein (Beasley) e Bocanegra; Edu (Buddle), Bradley, Dempsey e Donovan; Gomez (Feilhaber) e Altidore. Técnico: Bob Bradley.

ARGÉLIA 0
Mbohli; Bougherra, Halliche, Yahia e Belhadj; Kadir, Yebda, Lacen, Ziani (Guedioura) e Matmour (Saifi); Djebbour (Ghezzal). Técnico: Rabah Saadane.

Gols: Donovan (46-2º)
Local: estádio Loftus Versfeld, em Pretória
Juiz: Frank De Bleeckere (Bélgica)
Cartões amarelos: Yebda, Yahia, Lacen (A), Altidore e Beasley (E)
Cartão vermelho: Yahia (48-2º)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display