Nova Zelândia 1 x 1 Eslováquia

De todos os países da Copa, a Eslováquia é a única estreante de fato. Viu a coirmã República Tcheca herdar o passado futebolístico da antiga Tchecoslováquia. A Nova Zelândia, por sua vez, é uma semiestreante. Esteve apenas na Copa de 1982, e levou três surras. Em competições da Fifa (Mundial e Copa das Confederações), o país tinha 12 jogos, sendo 11 derrotas e um empate. A “caloura” Eslováquia pagou caro pelos erros típicos de calouros. Vencia o jogo por 1 a 0 e levou um gol aos 48 minutos do segundo tempo, que determinou o empate em 1 a 1.

No papel, a Nova Zelândia joga praticamente num 4-3-3, com Fallon, Smeltz e Killen na linha de frente. A tática é simples: bola para cima. Pode ser para aproveitar a altura dos jogadores — quatro dos titulares têm mais de 1,90m. Ou pode ser para evitar levar um gol, já que, quando a bola está bem alta, está longe da meta defendida por Mark Paston. A Eslováquia mostrou-se melhor tecnicamente quando se propôs a tocar a bola. Mas não conseguiu fazer um gol no primeiro tempo.

Eis que, aos 5 minutos da etapa final, Vitte abre o placar, de cabeça. Na hora, ninguém reclamou de nada. Mas, depois que o tira-teima da TV africana mostrou que o eslovaco estava um pouco à frente do penúltimo homem adversário, o gol passou a ser considerado como “claramente impedido”. Com a vantagem, os europeus tentaram se segurar na defesa, à espera de um contra-ataque, e deixaram de atacar nos 15 minutos finais. Sem nada a perder, a Nova Zelândia lançou mão da velha tática de “bola para cima”. E, aos 48 minutos, o zagueiro Reid empatou, de cabeça.

Nova Zelândia 1
Mark Paston; Reid, Nelsen, Smith e Lochhead; Bertos, Vicelich (Christie), Elliot, Fallon e Killen (Wood); Smeltz. Técnico: Ricki Herbert.

Eslováquia 1
Mucha; Zabavinik, Durica, Skrtel e Cech; Strba, Hamsik, Jendrisek e Weiss (Kucka); Vittek (Stoch) e Sestak (Holosko). Técnico: Vladimir Weiss.

Gols: Vittek (5-2º) e Reid (48-2º)
Local: estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo, às 8h30
Juiz: Jerome Damon (África do Sul)
Cartões amarelos: Zdenko Strba (E), Tony Lochhead (N) e Winston Reid (N)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display